domingo, 31 de outubro de 2010

A Smile

Smiling is infectious
You catch it like the flu
When someone smiled at me today
I started smiling too
I walked around the corner
And someone saw me grin
When he smiled I realised
I had passed it on to him
I thought about the smile
And then realised its worth
A single smile like mine
Could travel round the earth
So if you feel a smile begin
Don't leave it undetected
Start an epidemic
And get the world infected!

Author unknown

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Trava-Linguas

Semana passada durante um "warm up" meus alunos pediram sugestão de alguns trava-linguas. Ai estão alguns. Tentem repetir repetir em vz alta!
1. Six thick thistle sticks.

Six thick thistle sticks. Six thick thistles stick.

Vocabulário
thick = grosso
thistle = cardo
2. Butter

So she bought a bit of butter,
better than her bitter butter,
and she baked it in her batter,
and the batter was not bitter.
So 'twas better Betty Botter
bought a bit of better butter.

Vocabulário
bought = compra
butter = manteiga
baked = cozido

3. Butter - Este é de New York

Betty Botter had some butter,
"But," she said, "this butter's bitter.
If I bake this bitter butter,
it would make my batter bitter.
But a bit of better butter,
that would make my batter better."

Vocabulário
butter = manteiga
bitter = Amargo
bake = Assar
make = Fazer
bit = um pouco

4. Lorry

Red lorry, yellow lorry, red lorry, yellow lorry.

Vocabulário
lorry = caminhão

5. Skunk
A skunk sat on a stump and thunk the stump stunk,
but the stump thunk the skunk stunk.

Vocabulário
skunk = jaritataca
sat = sentou
stump = toco
stunk = fedor

6. A box of biscuits

A box of biscuits, a batch of mixed biscuits.

Vocabulário
Box = Caixa
batch = fornada
mixed = misturado
7. Peter
Peter Piper picked a peck of pickled peppers.
Did Peter Piper pick a peck of pickled peppers?
If Peter Piper picked a peck of pickled peppers,
where's the peck of pickled peppers Peter Piper picked?

Vocabulário
picked = Escolheu
peck = Pedaço, Bicada
pickled = Conservado, em conserva
peppers = Pimenta

Vamos rezar em Inglês?!

Uma das coisas revigorantes na vida. Rezar.
Com certeza, religião é algo muito pessoal e universal. A oração, na crença cristã, é a comunicação com Deus que nos permite agradecer ou pedir bênçãos. As orações são dirigidas a nosso Pai Celestial em nome de Jesus Cristo ou Santos, dependendo da religião, como intercessores.
Apresentamos algumas orações mais conhecidas para que você aprenda a ter pensamentos positivos, elevados à Deus, em inglês:

Our Father (Pai Nosso)
Our Father, Who art in heaven, Hallowed be Thy Name, Thy Kingdom come, Thy will be done on Earth as it is in heaven. Give us this day our daily bread, and forgive us our trespasses, as we forgive those who trespass against us. And lead us not into temptation, but deliver us from evil. Amen.

Hail Mary (Ave Maria)
Hail Mary, full of grace, the Lord is with thee. Blessed art thou among women, and blessed is the Fruit of thy womb, Jesus. Holy Mary, Mother of God, pray for us sinners now and at the hour of our death. Amen.

OK! OK?

A sigla OK, bastante utilizada no Brasil, tem as seguintes traduções: certo; correto; aprovado. Mas você sabe a sua origem?

O termo OK, surgiu no século XVIII, na campanha para a reeleição do Presidente Martin Van Buren (1782-1862) nos Estados Unidos.

O apelido (nickname) dele era Old Kinderhook (ele nasceu em Kinderhook, Estado de Nova York) e, em 1840, as iniciais OK se popularizaram como lenha na sua campanha para indicar que, com Old Kinderhook como presidente tudo estaria ótimo. De forma humorística, também se dizia que OK era sigla para “orl korrect” – all correct -, ou seja, “tudo correto”.

A forma escrita é OK, ou okay e, informalmente, fala-se também okey-dokey ou okey-doke. A palavra OK pode ser usada também como verbo regular, significando “aprovar”, “endossar”. Por exemplo: He OK’d everything ou He okayed everything. “Ele aprovou tudo.”

Há também a expressão A-OK, significando “excelente”, que vem da era espacial. Foi usada pela primeira vez na década de 60 pela NASA, nos Estados Unidos, para indicar que todos os sistemas estavam em perfeitas condições.

All systems OK
(abreviada para A-OK).

Podcasts para ajudar aprender Inglês

Melhore a pronúncia do seu inglês com a ajuda dos Podcasts

Podcast é um arquivo de áudio que pode ser baixado da Internet, como se fosse um programa de rádio sintonizado na hora e no lugar desejados. Para ouvir um podcast é necessário ter um dispositivo capaz de tocar mp3, que pode ser o seu computador, um mp3 player, um iPod e assim por diante (and so forth).

Que os podcasts são excelentes ferramentas para aprender Inglês e melhorar a pronúncia, todo mundo já sabe, mas como aproveitar de forma mais efetiva esse recurso? Como maximizar o aprendizado e não desperdiçar o seu tempo?

Desde os primeiros posts do English Experts eu digo, para quem está iniciando, que ouvir é muito importante. Primeiro a gente tem que se acostumar com o ritmo e entonação do Inglês. Mas depois de passada essa fase de aclimatização é importante respeitar o seu nível. De nada adianta ouvir um áudio com vocabulário avançado se você está no básico. Isso acontece porque o nosso cérebro só grava as informações que de alguma forma tem relação com o que ele já sabe, com sua experiência de vida.

Se você ouve um podcast e entende apenas 50% do que está sendo dito, quer dizer que está desperdiçado metade do seu tempo. E no mundo de hoje tempo é dinheiro! Portanto escolha aquele que mais se aproxime do seu nível de proficiência. Veja abaixo algumas indicações.

Nível Básico

The Flatmates – Para quem está começando eu recomendo o The Flatmates. São histórias publicadas semanalmente que conta a história de um grupo de amigos (Tim, Alice, Michael, Helen e um gatinho) que moram em num apartamento na cidade de Londres. As falas são claras e as ilustrações bem divertidas. Na página podemos visualizar o script com as falas. Não é bem um podcast, mas vale a pena conferir! – Link

Nível Intermediário

ESL Podcast – Mantido pela Dra. Lusy Tse e pelo Dr. Jeff McQuillan, ambos com Ph.D em lingüística aplicada e educação pela universidade do Sul da Califórnia. É na minha opinião é um dos melhores podcasts de Inglês da Internet, não é à toda que eu baixei todos os arquivos disponíveis no site. O locutor fala de forma pausada o que permite que você repita com ele as frases. O áudio é disponibilizado gratuitamente, mas o Learning Guide é pago. – Link

Nível Avançado

The Word Nerds – Semanalmente os amigos Dave Shepherd, Howard Shepherd e Howard Chang se reúnem para falar sobre Inglês. Eles conversam na velocidade normal e com vocabulário mais arrojado do que os outros dois podcasts apresentados acima. Segundo eles, é um podcast sobre o vocabulário utilizado no dia-a-dia. Por que usamos determinadas palavras não importa, usamos porque é assim e pronto. – Link

É isso aí pessoal, agora é só baixar os arquivos e som na caixa.

sábado, 9 de outubro de 2010

Síndrome de Burnout: uma doença do trabalho Saiba mais sobre um distúrbio ainda pouco conhecido da população, mas cada vez mais inerente ao ambiente de trabalho.

Não há dados sobre a incidência da Síndrome de Burnout no Brasil, mas os consultórios médicos e psicológicos registram um constante aumento do número de pacientes com relatos de sintomas típicos da Síndrome. O problema foi identificado em 1974, nos Estados Unidos, pelo pesquisador Freunderberger, a partir da observação de desgaste no humor e na motivação de profissionais de saúde com os quais trabalhava.

O termo síndrome de Burnout resultou da junção de burn (queima) e out (exterior), caracterizando um tipo de estresse ocupacional, durante o qual a pessoa consome-se física e emocionalmente, resultando em exaustão e em um comportamento agressivo e irritadiço. “Boa parte dos sintomas também é comum em casos de estresse convencional, mas com o acréscimo da desumanização, que se mostra por atitudes negativas e grosseiras em relação às pessoas atendidas no ambiente profissional e que por vezes se estende também aos colegas, amigos e familiares”, explica a psicóloga clínica e hipnoterapeuta ericksoniana Adriana de Araújo.

Segundo a especialista, é bom observar que “o problema é sempre relativo ao mundo do trabalho. É importante ressaltar, que a doença atinge pessoas sem antecedentes psicopatológicos”, afirma. A Síndrome afeta especialmente aqueles profissionais obrigados a manter contato próximo com outros indivíduos e dos quais se espera uma atitude, no mínimo, solidária com a causa alheia. É o caso de médicos, enfermeiros, psicólogos, professores, policiais. “Recentemente, a categoria dos funcionários de companhias aéreas inseriu-se entre aquelas de alto risco para desenvolver a Síndrome, devido às pressões intensas e ao desgaste vivido durante a crise dos atrasos nos horários dos vôos”, exemplifica Adriana de Araújo.

Veja a lista completa das áreas mais estressantes:

1) Tecnologia da Informação;

2) Medicina;

3) Engenharia;

4) Vendas e Marketing;

5) Educação;

6) Finanças;

7) Recursos Humanos;

8) Operações;

9) Produção;

10) Religião.
FONTE: Consultoria SWNS, 2006.



Apesar da associação do distúrbio com o perfil de trabalhadores já mencionados, ele pode afetar executivos e donas de casa também. Em comum, os candidatos à Síndrome apresentam uma personalidade com maior risco para desenvolver Burnout. “Ou seja, são pessoas excessivamente críticas, muito exigentes consigo mesmas e com os outros e que têm maior dificuldade para lidar com situações difíceis”, explica a psicóloga.

A especialista também destaca algumas das características individuais que podem incentivar o estabelecimento da Síndrome: idealismo elevado, excesso de dedicação, alta motivação, perfeccionismo, rigidez. “Em geral, são indivíduos que gostam e se envolvem com o que fazem, não medindo esforços para atingir seus próprios objetivos e os da instituição em que atuam. De certa forma, é tudo o que as organizações esperam de um bom profissional”, conclui. Ou seja, os ambientes corporativos estimulam, de alguma maneira, esse tipo de comportamento entre os profissionais, criando condições que podem predispor ao adoecimento e, na seqüência direta, em licenças médicas e eventuais afastamentos por longos períodos.

Principais características da Síndrome de Burnout:

SINTOMAS EMOCIONAIS: avaliação negativa do desempenho profissional, esgotamento, fracasso, impotência, baixa auto-estima.

MANIFESTAÇÕES FÍSICAS OU TRANSTORNOS PSICOSSOMÁTICOS: fadiga crônica, dores de cabeça, insônia, úlceras digestivas, hipertensão arterial, taquicardia, arritmias, perda de peso, dores musculares e de coluna, alergias, lapsos de memória.

ALTERAÇÕES COMPORTAMENTAIS: maior consumo de café, álcool e remédios, faltas no trabalho, baixo rendimento pessoal, cinismo, impaciência, sentimento de onipotência e também de impotência, incapacidade de concentração, depressão, baixa tolerância à frustração, ímpeto de abandonar o trabalho, comportamento paranóico (tentativa de suicídio) e/ou agressividade.

É preciso deixar claro que a Síndrome de Burnout não deve ser confundida com estresse ou depressão. No primeiro caso, o aparecimento dos sintomas psicossomáticos (dores de cabeça, insônia, gastrite, diarréia, alterações menstruais) sugere muito mais um estresse ocupacional crônico, algo que os estudiosos do assunto definem com tentativa de adaptação a uma situação claramente desconfortável no trabalho.

Em relação à depressão, chegou-se a cogitar uma sobreposição entre Burnout e depressão, no entanto, tratam-se de conceitos distintos. “O que ambos têm em comum é a disforia, o desânimo. Todavia, avaliando-se as manifestações clínicas, encontramos nos depressivos uma maior submissão à letargia e a prevalência aos sentimentos de culpa e derrota, enquanto nas pessoas com Burnout são mais marcantes o desapontamento e a tristeza. A pessoa que vivencia o Burnout identifica o trabalho como desencadeante deste processo”, explica Adriana de Araújo.

Atenção ao ritmo de trabalho

Na realidade, o ritmo acelerado e as tensões no trabalho existentes atualmente, por si só, não desencadeiam a Síndrome. “O desgaste com rotinas extenuantes, horas extras e cobranças de chefias constituem a regra quando o assunto é trabalho nos dias de hoje”, afirma a hipnoterapeuta ericksoniana Adriana de Araújo.

O ambiente de trabalho e as condições organizacionais são fundamentais para que a Síndrome se desenvolva, mas a sua manifestação depende muito mais da reação individual de cada pessoa frente aos problemas que surgem na rotina profissional. A sensação de inadequação na empresa e o sofrimento psíquico intenso desembocam geralmente nos sintomas físicos, quando não dá mais para disfarçar a insatisfação, porque ela afetou a saúde.

O tratamento da Síndrome de Burnout é essencialmente psicoterapêutico. Mas, em alguns casos, pode-se lançar mão de medicamentos como os ansiolíticos ou antidepressivos para atenuar a ansiedade e a tensão, sendo sempre necessária a avaliação e, no caso medicamentoso, a prescrição feita por um medico especialista. “No processo psicoterapêutico, além do enfoque individual para o alívio das dificuldades sentidas, é necessário a reflexão e um redimensionamento das atitudes relativas à atividade profissional, objetivos de vida e cuidados com a auto-estima e com sentimentos mais profundos de aceitação”, defende Adriana de Araújo.

O mercado financeiro

No mercado financeiro, ansiedade e agitação são ingredientes do trabalho. Mas, em excesso, estes componentes podem provocar insônia, variação de peso, exaustão e falhas de memória - motivos que têm levado esta categoria a procurar ajuda médica e psicológica. "Os profissionais do mercado financeiro têm metas muito apertadas, que exigem grande esforço do indivíduo", observa Adriana de Araújo.

O aumento de pacientes vindos do mercado financeiro nos consultórios médicos e psicológicos é fruto do próprio crescimento do mercado de capitais brasileiro, com maior volume de negócios e mais pessoas atuando em bancos, corretoras e gestoras de recursos.

“O problema surge com mais freqüência entre os novatos neste setor, que começam a atuar sem a devida preparação e sem o pleno conhecimento dos mecanismos do mercado de ações. Os mais antigos na profissão estão mais preparados para lidar com a pressão psicológica da atividade que exercem”, afirma a psicóloga. A demanda é maior em momentos de crise no mercado de capitais. Para estes profissionais, “a terapia serve para mostrar que o universo financeiro não condiz com a realidade fora dele. Através de reflexões, mostramos que o cotidiano não funciona assim, que sem saúde física e mental não se pode fazer nada", afirma a psicóloga clínica Adriana de Araújo.

Hora de parar


No decreto N° 3048/99 que regulamenta a Previdência Social, o grupo V da Classificação Internacional de Doenças (CID) 10 menciona no inciso XII a “Síndrome de Burnout, “Síndrome do Esgotamento Profissional”, também identificada como “Sensação de Estar Acabado”. O profissional tem direito a afastar-se uma vez que tenha sido diagnosticada a Síndrome. “É preciso que as empresas se conscientizem da urgência de reavaliar a cultura de exigir dos funcionários metas, às vezes, impossíveis para um ser humano”, alerta Adriana de Araújo.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

terça-feira, 5 de outubro de 2010

ENRIQUEÇA SUAS AULAS

Os sites abaixo são bem interessantes, se você leitor souber de mais algum pode adicionar nos comentários que eu publico.

A Fundação Biblioteca Nacional disponibiliza, na sua Biblioteca Digital, livros eletrônicos para download.

A Biblioteca Virtual do Estudante de Língua Portuguesa da Escola do Futuro da USP - Universidade de São Paulo disponibiliza informações, na forma de textos, vídeos, imagens e sons para pesquisa escolar.

O projeto Biblioteca Digital e Sonora da Unb – universidade de Brasília (parceria entre o Programa de Apoio às Pessoas com Necessidades Especiais) disponibiliza, textos adaptados em formato digital e sonoro.

O portal Domínio Público do Ministério da Educação oferece obras literárias da literatura brasileira e mundial, reprodução de pinturas, música erudita brasileira e vídeos.

O Portal do Professor (MEC – Ministério da Educação e MCT – Ministério da Ciência e Tecnologia) oferece planos e sugestões de aula, além de um acervo de recursos multimídia.

O Banco Internacional de Objetos Educacionais (MEC e MCT) contém recursos multimídia nacionais e internacionais para atividades didáticas.

A Biblioteca Virtual do Estudante de Língua Portuguesa da Escola do Futuro da USP - Universidade de São Paulo disponibiliza informações, na forma de textos, vídeos, imagens e sons para pesquisa escolar.

O Planeta Educação contém colunas sobre temas de interesse didático e pedagógico, oferece materiais para atividades em sala de aula.

O site Webeduc, do Ministério da Educação, oferece material de pesquisa, objetos de aprendizagem e outros conteúdos educacionais de livre acesso.

O site Brasil Escola contém informações de interesse de professores e alunos.

O Bússola Escolar funciona como uma ferramenta de pesquisa sobre temas abordados nas escolas.

O site da revista Nova Escola, em versão online, oferece matérias, planos de aula e sugestões de atividades para professores.

A revista Carta na Escola contém matérias sobre temas atuais em formato e linguagem para facilitar sua aplicação didática.

A MultiRio (produtora da prefeitura do Rio de Janeiro) produz materiais em vídeo e outras mídias com fins didáticos e para a reciclagem de docentes.

A revista Veja está disponibilizando o acervo digital completo da publicação desde a primeira edição em 1968.

O Museu Histórico Nacional, localizado no Rio de Janeiro, disponibiliza uma galeria virtual.

O portal Hemisfério Cultural dá acesso a sites de museus do Brasil e de outras partes do mundo.

Dicionários

O Wickdicionário é um projeto colaborativo para produzir um dicionário poliglota livre em português, com significado, etimologias e pronúncias.

Dicionário da Língua Brasileira de Sinais.

Língua Portuguesa On-Line

Língua Portuguesa

O “Guia Prático da Nova Ortografia”, de autoria do professor Douglas Tufano, contém informações sobre as novas regras de grafia da língua portuguesa.

O Ciberdúvidas é um site que tira dúvidas sobre a língua portuguesa.

A Enciclopédia das Línguas no Brasil reúne dados e informações sobre as muitas línguas faladas no Brasi.l.

O site da Olimpíada de Língua Portuguesa apresenta a competição, que será realizada pela primeira vez em 2008, e traz informações, jogos e curiosidades.

A Biblioteca Virtual do Estudante de Língua Portuguesa da Escola do Futuro da USP - Universidade de São Paulo disponibiliza textos, vídeos, imagens e sons para pesquisa escolar e para a preparação de aulas.

O Dobras da Leitura é uma publicação eletrônica dedicada à literatura infantil e juvenil.

O site Amigos do Livro oferece informações e biografias sobre autores e escritores nacionais e estrangeiros, grupos literários, bibliotecas, enciclopédias e dicionários.

Matemática

O portal Só Matemática oferece materiais para o ensino e a aprendizagem da matemática no ensino fundamental, médio e superior.

No site da OBM - Olimpíada Brasileira de Matemática há informações sobre a competição, bibliografia e provas antigas.

Geografia

O site Só Geografia contém informações, materiais de apoio e exercícios.

O Frigoletto é um site dividido em tópicos nos quais são apresentados e analisados dados e informações fornecidas por órgãos oficiais (IBGE, Ibama etc).

O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística oferece mapas para download.

O portal do IBGE contém Átlas Geográfico com informações, mapas e gráficos sobre o Brasil e o mundo.

Países@ é um site do IBGE que contém um planisfério clicável com estatísticas, dados sociais e indicadores de desenvolvimento de 192 países.

História

O site Historianet contém informações sobre história geral e do Brasil.

O site da Presidência da República contém uma galeria de todos os presidentes do Brasil desde 1889.

O CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas oferece artigos e entrevistas com personalidades da história contemporânea, manuscritos, documentos, fotos e livros.

Artes

O Itaú Cultural oferece bases de dados sobre literatura e artes visuais.

Ciências

O CanalCiência, do IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia foi criado para divulgar a pesquisa nacional. As informações estão divididas em Banco de Pesquisas, Diretório de Links e Saiba Mais. Há recursos para preparação de aulas.

O site Mudanças Climáticas (parceria entre a Embaixada do Reino Unido no Brasil, o Conselho Britânico e a ANDI - Agência de Notícia dos Direitos da Infância) reúne e organiza informações sobre as mudanças climáticas.

O Cérebro Nosso de Cada Dia apresenta as relações entre as descobertas da neurociência e vida cotidiana.

Astronomia no Zênite esclarece dúvidas sobre a ciência dos astros. Além das explicações, contém fotos, figuras e gráficos.

Amigo da Água é um projeto de educação ambiental que difunde a consciência sobre a preservação dos recursos hídricos.

A revista Ciência Hoje, da SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, possui uma edição voltada para crianças em que são abordados temas ligados às ciências.

Química

O Programa Educ@r – Química oferece roteiros de experimentos simples de serem repetidos e informações gerais sobre cientistas.

Cidadania

Plenarinho é uma página na internet da Câmara dos Deputados para crianças e adolescentes com foco em cidadania.

O Instituto Akatu tem por objetivo promover o consumo consciente. No site, notícias e informações.

O site Banco Central Jovem contém informações sobre moedas do Brasil e de outras partes do mundo para pesquisa escolar.
Loading...